Saturday, July 7, 2007

Polícia do Rio mata 41 civis para cada policial morto

Testemunhas viram execuções e invasão de vários domicílios nas favelas Mandela 1, 2 e 3. Informações da Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência.

Começou pouco depois das 11h desta terça (12/1) uma operação da Polícia Militar nas favelas Mandela 1, 2 e 3, com soldados e viaturas do 22o Batalhão da Polícia Militar (BPM - Maré). Ao longo do dia, incorporaram-se a CORE (Coordenadoria de Recursos Especiais) e o BOPE (Batalhão de Operações Especiais), que continuam na favela. No momento (23h da terça) 4 viaturas "Caveirões" (blindados de guerra da PM) estão circulando pelas ruas.

Uma moradora do Mandela 1, que entrou em contato com a Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência, presenciou a execução de um rapaz, que já estava baleado e desarmado. A mãe e outros familiares do rapaz imploraram para que os policiais não o matassem, mas ele foi executado diante da família com vários tiros. É bastante provável que as outras mortes também tenham sido execuções e que o número de mortos seja maior.

Diversas casas foram arrombadas com alicates e pés de cabra, as entradas da favela estão bloqueadas e a Rua Leopoldo Bulhões está fechada pela polícia desde Benfica. Muitos moradores estão com medo de voltar para casa e ligam desesperados para seus parentes. Segundo reportagem da TV Record transmitida há pouco, a polícia está esperando ordem para invadir mais casas. Manguinhos é uma das favelas onde serão realizadas obras do PAC.